Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uvv.br//handle/123456789/397
Title: Voláteis e a unidade de sinalização da dispersão de sementes em Protium icicariba (DC) marchand
Authors: Costa, Ana Paula Ferreira da
metadata.dc.contributor: Silva, Ary Gomes da
Keywords: Almécega - Estruturas secretoras - Exsudato - Oleorresina
Issue Date: 28-Jul-2016
Abstract: A família Burseraceae é fonte bem conhecida de exsudatos e oleorresinas ricas em substâncias voláteis. Os óleos essenciais estão presentes em várias partes da planta, entre elas na resina seca, folíolo, flor, fruto e semente. Objetivou-se caracterizar a natureza do exsudato caulinar e dos ápices dos ramos de Protium icicariba e investigar a unidade de dispersão, de modo a identificar os voláteis que compõem o aroma do fruto maduro, comparando-os aos do fruto imaturo, dos folíolos, ramos e resina do caule, de modo a investigar seu papel na dispersão das sementes desta espécie vegetal. A produção de exsudato foi estimulada através de incisão no caule, retirada de folhas no ponto de inserção das raquis e ramos, remoção de flores e frutos pelo pedicelo. Para análise anatômica, foram retirados fragmentos de caule, ramo, pecíolos da raque e de folíolos, de modo a investigar a natureza das estruturas. O exsudato do caule, ramos e folhas de P. icicariba é representado por um líquido oleoso que se resseca após exposição ao ar, produzindo um resíduo amorfo de coloração esbranquiçada, podendo desenvolver tons levemente amarelados ou rosados. As estruturas secretoras desta oleorresina correspondem a cavidades alongadas, delimitadas por um epitélio secretor, associadas ao floema no caule e nos ramos das plantas, chegando até as folhas através das nervuras do sistema vascular. Isto indica que a oleorresina circula na planta inteira em meio aos tecidos vasculares, desde o caule até toda ramificação do sistema axial do caule, ramos e pecíolos. O rendimento extrativo do óleo essencial foi obtido por meio de hidrodestilação das diferentes partes estudadas da planta e não apresentou diferenças significativas entre o fruto maduro aberto e resina seca, ao contrário do fruto maduro fechado, fruto imaturo e folíolos. A composição química do óleo do fruto maduro aberto revelou que os compostos majoritários representam um total de 74,83% de todo óleo, do fruto maduro fechado 74,76%, do fruto imaturo 77,83%, do folíolo 72,37% e da resina seca 74,38%. Os frutos maduros e imaturos formaram um bloco distinto das outras partes vegetativas, considerando o perfil fitoquímico dos óleos essenciais, e os frutos imaturos também foram distintos dos frutos maturos. Portanto, o perfil fitoquímico dos frutos e sementes não representou um evento conservativo em P. icicariba e, como são produzidos em estruturas secretoras internas e fechadas, essas substâncias voláteis podem estar envolvidas em alguma via secundária à dispersão ou influenciando a palatabilidade dos diásporos.
URI: https://repositorio.uvv.br//handle/123456789/397
Appears in Collections:Dissertação de Mestrado EE

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
DISSERTAÇÃO FINAL DE ANA PAULA FERREIRA DA COSTA.pdfDISSERTAÇÃO FINAL DE ANA PAULA FERREIRA DA COSTA1.38 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.